Solidariedade Sem Terra na Chapada Diamantina: MST doa 8 toneladas de alimentos em Itaberaba/BA

Solidariedade Sem Terra na Chapada Diamantina: MST doa 8 toneladas de alimentos em Itaberaba/BA

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia

Para Voz do Movimento

Enquanto o número de pessoas infectadas pelo Covid-19 aumenta em Itaberaba/BA, famílias Sem Terras da Chapada Diamantina se unem, em ato de solidariedade, e doam oito mil quilos de alimentos para pessoas necessitadas.

Os alimentos começaram a serem entregues na manhã desta sexta-feira, e conforme a direção do MST, haverá doações até este sábado. Os produtos são ofertados por famílias Acampadas e Assentadas em áreas de Reforma Agrária, de diversos municípios da Chapada Diamantina.

Em Itaberaba, segundo informações publicadas no site oficial da prefeitura, já são 1034 casos de COVID-19 confirmados no município. Sabendo disso, as famílias dos Assentamentos e Acampamentos organizados pelo Movimento Sem Terra, se sentiram comovidas e resolveram prestar solidariedade à população do município, que devido a pandemia, tem passado por momentos de dificuldades.

Para as famílias dos assentamentos, ofertar alimentos saudáveis produzidos em suas áreas, é um jeito de ajudar as pessoas que precisam, e mostrar à sociedade que os agricultores e agricultoras Sem Terras se importam com o bem-estar de toda a população, do campo e da cidade.

Mesmo passando por um momento difícil, as famílias se comovem, e doam parte de sua produção para ajudar aqueles que mais necessitam. “A gente entende que a nossa solidariedade nesse momento é muito importante, por isso o MST está fazendo doações de alimentos na cidade,” cita Abrão Brito – Articulador Político do MST na Chapada Diamantina.

Durante esse período de pandemia, o MST já realizou diversos atos de solidariedade em todo o estado, só nos municípios da Chapada Diamantina e territórios próximos, já foram doados mais de 40 mil quilos de alimentos.

Nos últimos meses, foram doados alimentos em Iramaia, Itaetê, Wagner, Tapiramutá,  Boa Vista do Tupim, Lajedo do Tabocal, Maracás, Nova Redenção, Andaraí e outros municípios da região.

Banana, Mamão, Aipim, Milho, Tomate e Abobora, foram alguns dos diversos gêneros alimentícios ofertados. As produções, além de serem oferecidas às famílias carentes, também são entregue em creches, casas de apoio, e hospitais.

Segundo Abraão Brito, o MST na Chapada Diamantina, assim como na Bahia e em todo o país, tem se preocupado muito com a pandemia do Covid-19.

“Nós percebemos desde o início que o Governo, na pessoa de Bolsonaro, não construiu uma política para garantir a Soberania Alimentar do Povo Brasileiro, principalmente nas áreas muito mais afetadas com Covid-19, então, nós do MST, ameaçados com o Governo Federal, aonde fortaleceu o debate de várias ameaças de despejo, fomos para os Assentamentos produzir alimentos saudáveis, para nesse momento de pandemia, a gente distribuir comida na nossa mesa, para nossa família e também doar comida nas Cidades, e em todos os lugares. Então nós que estamos na Chapada, do dia 17 de Abril até o dia de hoje, já fizemos doações de mais de 43 toneladas de alimentos nos municípios,” afirma Brito.

Na Bahia, os atos de solidariedade realizados pelo Movimento tem sido constantes, além das doações de alimentos, em alguns municípios, o MST tem organizados grupos de pessoas, e de forma simbólica tem realizado atos de doação de sangue.

Um outro ato que vem sendo realizado pelo MST, é o Plano Nacional “Plantar Árvores, Produzir Alimentos Saudáveis”. A proposta é que nos próximos 10 anos, famílias Sem Terra acampadas e assentadas e a sociedade em geral plantem 100 milhões de árvores em todo o país. No estado da Bahia, serão plantadas 10 milhões de arvores.

Então o Movimento Sem Terra vai continuar assim, lutando pela vida, plantando árvores e produzindo comida saudável para colocar na mesa do povo brasileiro, afirma a direção do MST.

Fechar Menu