MST traz ministério da cidadania para realizar cadastros no assentamento Jaci Rocha

MST traz ministério da cidadania para realizar cadastros no assentamento Jaci Rocha

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia

Para Voz do Movimento

Na manhã desta terça-feira (29), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra garantiu a vinda do Ministério da Cidadania para o assentamento Jaci Rocha, no Extremo Sul da Bahia.

Após muita luta e toda articulação entorno da falta de assistência e serviços que são de competência do Ministério da Cidadania que os assentados não tinham acesso por diversos problemas que partem desde má gestão, ou incompetência por parte dos servidores.

O Ministério ao vir para o assentamento, trouxe alguns serviços para as famílias do Jaci Rocha, como, recadastramento do Cadastro Único (Cad. Único), apoio inicial, fomento mulher e o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

De acordo com Antônio Filho da Direção do assentamento, “os serviços vieram em um momento propício, devido à crise financeira que estamos vivendo. Muitos assentados ainda estão em barraco de lona preta, agora pegarão os créditos e poderão investigar na estrutura do seu lote.”

” Infelizmente, não foi para todos, mas conseguimos 83 créditos para fomento mulher e apenas sete apoios iniciais para pessoas que não receberam no início do lote. ” Finaliza.

créditos para o desenvolvimento da produção dos assentados, assistência técnica, e as beneficies do estado sempre fizeram parte das pautas do Movimento Sem Terra.

Dona Nailza Santos assentada no assentamento Jaci Rocha, diz “eu fico muito feliz, quando vejo o MST trazendo essas conquistas para a gente, sou desse movimento a mais de 20 anos, e se não fosse o movimento, eu nem sei o que seria dessa vida. A vinda desse povo importante para fazer os cadastros e entregar os fomentos, é fruto da luta, era para eles terem vindo antes, mas o MST conseguiu trazer agora, eu estou muito feliz”. Conclui Santos

Apesar da vinda do Ministério da Cidadania com alguns serviços, famílias assentadas não receberam os auxílios, fomentos e nem conseguiram se recadastrar, pois os mesmo usaram a base de dados do INCRA, e quando questionados sobre quem ainda não estava cadastrado, Fabio Roque representante do Ministério da Cidadania afirma que “o CRAS da região está autorizado e irá regularizar a situação de todas as famílias assentadas, para que nenhuma delas fiquem sem a assistência do Estado”. Conclui Roque.

Evanildo Costa da Direção Nacional do MST na Bahia afirma que “todo ano com exceção de 2020, fazemos marcha de Feira de Santana a Salvador, justamente por que nossas pautas não são atendidas, meu sonho é que o governo atenda nossas reivindicações que visam melhorias nas áreas de reforma agrária, por que ver o sorriso e o semblante de satisfação estampado nos rostos das famílias não tem preço e só nos da ainda mais força para seguir lutando por uma sociedade mais justa, inclusiva e igualitária”. Conclui Costa

Fechar Menu