Movimento Sem Terra comemora loteamento do Pré-Assentamento Egídio Brunetto

Movimento Sem Terra comemora loteamento do Pré-Assentamento Egídio Brunetto

Na noite do último sábado (3) o Pré-Assentamento Egídio Brunetto, na brigada Olga Benário no Extremo Sul da Bahia realiza ato político para a entrega dos lotes.

Por coletivo de comunicação do MST na Bahia

O Pré-Assentamento possui cinco anos de existência e conta com cerca de 120 famílias organizadas no MST. Famílias que adentraram as cercas do latifúndio em busca de terra para plantar e por uma vida mais digna.

A sua ocupação ocorreu no dia 30 de julho de 2015 por cerca de 300 pessoas oriundas de áreas periféricas do território e enfrentou até hoje um único despejo no dia 20 de julho, mas que não interrompeu os sonhos das famílias que reocuparam a terra dias depois.

De acordo com Matenai Meirelles, assentada há 3 anos na área ‘’É com muito respeito, satisfação e alegria que estamos indo para os lotes. Durante cinco anos estávamos à espera desse sonho e hoje o pré-assentamento está em festa por que a nossa vitória chegou’’.

“Gostaria de dizer aos companheiros que estão em luta que não desistam, temos que resistir e nos organizar. Estamos muito agradecidos ao MST por ter nos fortalecido nessa luta que é a conquista do nosso lote. A bandeira do nosso movimento é a nossa direção’’, afirma Meirelles.

Manoel da Lapa, conhecido popularmente como Lapinha, da direção do MST ressalta a importância dessa conquista e de seguir em luta, principalmente durante esse período em que o governo se mostra contra movimentos sociais que se colocam em defesa dos diretos da classe trabalhadora, é um ato de resistência.

‘’Muitos de nós assentados trabalhávamos nessa antiga fazenda J. Ungaro, com péssimas condições de trabalho, rotinas exaustivas e sem equipamentos adequados para a realização dos serviços, clara exploração’’.

“Hoje nós estamos aqui produzindo alimentos agroecológicos que alimentam tantos as nossas famílias como os milhares de famílias da região que recebem as nossas doações e adquirem os nossos produtos comercializados’’.

O ato foi construído pelos agricultores e agricultoras camponesas da comunidade com a participação do Deputado Federal Valmir Assunção e amigos do MST.

A direção Nacional do MST na Bahia esteve presente e reafirmou a necessidade da luta pela e a felicidade dos assentados em ter a oportunidade mesmo nesse governo, de ter um pedaço de chão.

“Os nossos sonhos, transcendem as cercas, a nossa luta é por dignidade, resistimos para manter viva a esperança e produzimos para alimentar o país. Hoje estamos dando um passo muito importante na construção dos nossos sonhos, o assentamento Egídio Brunetto, nos mostra que a luta do povo é possível, e de que a reforma agrária é logo adiante, basta continuarmos lutando”. Finaliza Lucineia Durães

Fechar Menu