Acampados do Acampamento Paulo Kageyama, receberam o mapa do lote.

Acampados do Acampamento Paulo Kageyama, receberam o mapa do lote.

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia

Para Voz do Movimento

O movimento dos trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vem aos 36 anos se organizado na luta por uma sociedade mais justa e igualitária. Dentro deste, princípio que nasce o acampamento Paulo Kageyama (antigo 25 anos), nome recebido devido a comemoração dos 25 anos de MST no Brasil.

Madrugada chuvosa do dia 08 de Abril de 2009 uma grande mobilização da classe trabalhadora, para ocupação da área da Veracel, gigante do agronegócio na região do Extremo Sul da Bahia, o que antes era território cheio de Eucalipto , agora produz vida e alimentos pelos do Sem Terra.

A noite chuvosa do ultimo sábado (21),foi coroada com o ato de entregar do mapa do lote que contou com a presença do deputado Federal Valmir Assunção, Secretaria Nacional dos Movimentos Socias do PT, Vera Lucia Barbosa, Isac do PT, Evelin Lourena, Cleber de Oliveira coordenador do Projeto Assentamento Agroecológico, EdCarlos popular Preto do MST, Paulo Cesar da direção estadual do MST , além diversas lideranças políticas e militantes do MST.

Muito emocionada Ana Gil moradora do acampamento; “nosso acampamento iniciou com 1500 famílias, e hoje 172 famílias, antes era 25 anos e hoje Paulo Kageyama é uma emoção receber esse lote, passa um filme em nossa mente”

As famílias reuniram no Galpão de evento do Acampamento seguindo todas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para recebe o mapa dos seus dos lotes, a emoção estava visível no olhar de cada companheiro e companheira presente, que resistiu durante 12 anos para conquista o tão sonhado lote.

Ainda não consigo acreditar que conseguir chegar até aqui, pensei que fosse morrer antes de chegar esse momento, agradeço a Deus pela oportunidade e o nosso movimento pela coragem e determinação”. Concluir Gil.

O acampamento que sofreu dois despejos, perdeu diversos companheiros e companheiras que foram tombados na luta, mas também tiveram muitas conquistas entre elas; Luz para Todos, farinheira coletiva, tendo a primeira escola construída na área de acampamento, posto de saúde, poço artesiano, além da assistência técnica através do Projeto de Assentamento Agroecológico uma parceria do MST com ESALQ e Veracel, o projeto de alfabetização “Sim, Eu posso”.

Para o dirigente estadual do MST – Paulo Cesar “Somos resistência! a nossa luta é coletiva e para quem desejar produzir alimentos saudáveis e viver do suor da sua vida. Continuaremos nossa luta para que nossos trabalhadores rurais tenham o direito de adquirir um pedaço de terra e viver com dignidade”.

História do acampamento

O acampamento 25 anos atual Paulo kageyama, nasceu na madrugada do dia 08/04/2009, ocupação ocorreu numa terra errada, logo que notaram o erro ocuparam a terra correta.

O trabalho de massificação iniciou no mês de Fevereiro a Abril contou a presença 1500 famílias. A ocupação contou com a presença do Companheiro Marcio Matos ( in-memoria), sofreram dois despejo o segundo despejo foi o mais dolorosos para famílias, pois não tiveram tempo para retirar os pertences e presenciou o trator passando em cima das roças e os barracos, além do luto do companheiro que sofreu um grave acidente na BR “Jose Pacheco”.

Após alguns meses enquanto o movimento realizava a Marcha de Feira Santana x Salvador, após a marcha, a direção tomou encaminhamento de ocupar novamente da área com apenas 654 famílias. As famílias entraram iniciaram o processo de organizar os barracos, as roças coletivas, e as estruturas físicas coletivas com escola, galpão de evento, cozinha coletiva, entre outras.

Em janeiro de 2015, recebe um lindo presente, a construção da escola dando aos estudantes a melhor qualidade estrutural a para o ensino e aprendizagem.

Em 2016 chegou o projeto de Assentamento Agroecológicos, parceira do MST com ESALQ, as famílias iniciam o processo de transição de acampamento para assentamento dentro dos princípios agroecológicos, em homenagem ao professor da agroecologia Paulo Kageyama e assim passou a ser chamado. O acampamento que referencia em produção de mandioca, banana, hortaliça e frutíferas na noite deste sábado (21) 172 as famílias são contempladas com mapa do lote.

Fechar Menu