Educação Sem Terra em tempo de pandemia

Na Bahia, 11.869 mil educandos estudam nas áreas dos assentamentos e acampamentos do MST. Durante a pandemia, ocasionada pelo coronavírus, esses estudantes estão participando de aulas na modalidade remota, com entrega de atividades semanais e quinzenais.

Famílias Sem Terra do Assentamento Antônio Araújo realizam colheita de cacau e cultivam mudas para campanha Nacional de Plantio de Árvores

As famílias do Assentamento Antônio Araújo, vêm se dividindo no trabalho coletivo para cuidar dos pés de cacaus presentes no assentamento, com a colheita, a poda e cultivo da semente. A atividade vem ocorrendo em núcleos pequenos devido à pandemia, mas, com o objetivo de continuar dando organicidade à área coletiva da produção do cacau.

Famílias do Acampamento Fábio Henrique no município de Prado/BA recebem atendimento na área da Saúde e na área Jurídica

No último domingo (23), um mutirão de saúde dos médicos Sem Terras foi dedicado especialmente à saúde das famílias do Assentamento Fabio Henrique, organizadas por meio da Brigada Joaquim Ribeiro no município de Prado, região do Extremo Sul da Bahia. O atendimento foi realizado pela Prefeitura de Prado (BA), em parceria com o Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem Terra - MST.

O MST e a luta pelo direito à saúde em tempos de pandemia

De acordo o Setor de Saúde do MST na Bahia, foram criadas diversas estratégias no combate a proliferação do vírus em áreas de assentamento e acampamento, como por exemplo, o mapeamento, monitoramento e acompanhamento dos casos de COVID-19 nas brigadas, doações de álcool, máscaras e fitoterápicos. Além de realizações de lives e podcasts que trataram sobre o coronavírus.

  • 1
  • 2
Fechar Menu